domingo, 12 de abril de 2015

VISUALIZAÇÃO PARA ACABAR COM A CULPABILIDADE


  Uma após outra, junta no teu campo visual interno todas aquelas pessoas com quem tenhas tido rela-
ções perturbadoras ao longo da vida: pais, parcerias, filhos, chefes, senhorios, etc. Sabendo que o ato de
visualizares uma pessoa te põe em contacto com o seu eu-espírito, convoca essas pessoas para este tipo
de reunião (se preferires, visualiza uma de cada vez) e diz-lhes, interiormente ou em voz alta:

Perdoo-vos qualquer dor que me tenham provocado, pois tudo o que se passou entre nós foi feito
em cumprimento de um acordo prévio. Amo-vos a todos incondicionalmente.

   É irrelevante se eles crêem que te provocaram ou não a dor que referes; o importante é o que tu sen-
tes, isso que está encravado nos teus campos.

   Agora, põe-te em frente do espelho e faz o mesmo com a tua própria pessoa:

Perdoo-me por todas as vezes que me pareceu ter cometido erros, que falhei ou desperdicei uma
oportunidade. Agi assim com base num acordo prévio e tenho plena consciência do que aprendi com
a experiência.

   Lembra-te de que um Mestre nunca falha; tudo se passa da forma como ele pretendeu; a única coisa
que um Mestre tem de fazer é servir a Luz.

   Agora, estamos perto do fim: já dissolvemos as «impressões», os julgamentos, o medo e - o mais im-
portante de tudo – o autojulgamento. O que é que ainda sobra? Talvez algumas coisas relacionadas com as
encarnações. Se assim for, repete a rotina do perdão nestes termos:

Perdoo a qualquer um que me tenha magoado nesta encarnação ou em qualquer outra, em qual-
quer lugar ou em qualquer plano. Perdoo todas as dívidas e apago todos os karmas. Elejo a Luz para
mim e para todos os meus eu-mesmo.
   Diz isto com sinceridade e com intenção. No início, talvez te sintas pouco convencido acerca dos resul-
tados; chegará um momento, porém, em que sentirás, plenamente, que foste bem sucedido.

   É impossível enganares-te se, realmente, perdoaste a ti e aos outros. Nem sequer é necessário que for-
ces o processo intelectualmente só porque «é uma coisa espiritual que tem de ser feita». Para saberes se
perdoaste ou não, observa a grau de gratidão: ter-te-ás libertado quando te sentires agradecido à
«impressão» ou à experiência... mesmo que seja bastante desafiadora como, por exemplo, um incesto,
uma violação, etc! Ao nível da alma, sentirás um apreço profundo por ti mesmo e pelos demais por te
terem sido úteis em condições tão desafiadoras. Semelhante serviço exige um amor e uma compaixão
grandiosos.

   E lembra-te: não existem vítimas, mas apenas co-criadores: tu concebeste a natureza das tuas
«impressões» e pediste aos demais que «participassem no jogo»!

    Ao encarnares, construíste vários bloqueios e registaste alguns votos quer na personalidade, quer nos
corpos de energia que te impedem de saber quem realmente és. Mas o teu eu-espírito pode dispor do
momento em que te libertará desses bloqueios e votos, não só individualmente... mas, também, toda a
linha de sangue desde o começo da história!

    Dado que esta técnica é muito poderosa e afeta cada um dos teus ancestrais, tive de pedir uma licen-
ça especial aos vários concílios para poder dispensar esta informação. Assim, se sentires que estás identi-
ficado com ela, diz o seguinte com toda a intenção - quer seja sozinho, quer em grupo, ainda que em gru-
po o trabalho seja muito mais potente:

Neste momento, rescindo qualquer tipo de voto que tenha feito para experimentar a ilusão da incons-
ciência. Enquanto portador de Luz para a minha linhagem genética, quebro esses votos, em relação a
mim e a todos os meus ancestrais. Declaro nulos todos estes votos e cancelo-os em relação a esta
encarnação e a todas as outras ao longo do tempo e do espaço, em relação às realidades paralelas e
aos universos paralelos, assim como às realidades alternativas e aos universos alternativos de todos os
sistemas planetários, de todos os sistemas da Fonte, de todas as dimensões. Peço a libertação de todos
os cristais sombrios, «impressões», formas de pensamento, emoções, matrizes, véus e memórias celu-
lares, dos quadros de realidade, das limitações genéticas e da morte... AGORA!

Pela Lei da Graça e pelo Decreto da Vitória... pelo Decreto da Vitória... pelo Decreto da Vitória!


De acordo com a vontade do ESPÍRITO, peço para Despertar; de acordo com a vontade do ESPÍRITO, estou desperto! No início, EU SOU O QUE SOU!


   Isto limpa tanto a cave como o sótão!

   Chegou o momento de gerires pessoalmente a assimilação de uma nova energia nos teus campos. Ou
seja, chegou o momento de estabeleceres contato com o ESPÍRITO!