sábado, 11 de abril de 2015

SEGUNDA PARTE - A ASCENSÃO; COMO REALIZÁ-LA?


   A Primeira Parte foi dedicada ao que necessitam saber para se prepararem para a ascensão. Vimos
como a espécie humana tomou essa monumental decisão de transcender o véu de amnésia por ocasião do
nascimento, donde decorre que comecem cada encarnação sem saber quem são na verdade. Desde que a
decisão de criar esse véu foi tomada, a espécie inteira, metida nos seus corpos e mantida por detrás do
véu, tem utilizado uma enorme quantidade de energia para tentar resolver esse enigma.

   De fato, a humanidade optou por acreditar que o ESPÍRITO é algo que está fora de si mesma. A esse
«algo» ou deu o nome de Deus ou, ao perceber a imensidade do ESPÍRITO, criou um panteão completo de
deuses que deveriam ser adorados. O homem assassinou o homem por causa das divergências relacionadas
com os conceitos que eles próprios tinham inventado. Porém, através desta gloriosa experiência, a Fonte –
ou seja, vocês no sentido mais amplo – aumentou o conhecimento acerca de si mesma!

   Esta experiência, porém, chegou ao fim. Chegou o momento de arrumar a trouxa e continuar o
caminho. Isso é a ascensão! A tarefa prioritária, agora, consiste em que todas as projecções do eu-ego
escolham – conscientemente – incorporar o ESPÍRITO. Isto significa alinhar os três corpos de energia de
frequência mais baixa com a energia do ESPÍRITO, permitindo que flua em plena liberdade através
deles.

   Enquanto ESPÍRITO, tu sempre operaste através do eu-ego... mas ele tem estado demasiadamente pre-
ocupado para se aperceber:

que, por natureza, és primordialmente ESPÍRITO, em vez de um corpo com sentimentos;

que crias a tua realidade através dos próprios pensamentos;

que cada coisa que vês não passa de energia «capturada» para te dar a sensação de solidez;

que vives num estado de alerta total e consciente do ESPÍRITO que te permite saber, sem qualquer
dúvida, que todos são ESPÍRITO, constituídos pela mesma «coisa» que constitui a Fonte;

que há níveis de conhecimento e um amor incondicional, desconhecidos neste planeta há centenas
de milhar de anos;

que podes criar, conscientemente, qualquer objecto ou circunstância que desejas, desde que este-
jas consciente do tipo de amor incondicional que tal poder requer...

    Nesta Segunda Parte veremos o que é necessário para que o eu-ego se aperceba, finalmente, de tudo
isto.

    O que é irónico em relação à ascensão é que ela deve começar com a descida do ESPÍRITO aos campos
físico, emocional e mental; ora, enquanto ESPÍRITO, a espécie humana é responsável por este processo.

   Veremos, então, o que poderás fazer para que a personalidade não obstrua o caminho.

    Deves ter consciência do que está a passar-se e, claro, desejar que isso se conclua. No entanto, desde
que construas metade da ponte, o ESPÍRITO construirá a outra metade, e ambos se encontrarão no meio.

    A tua parte desta tarefa é retirar a vibração mais lenta dos teus campos, alinhá-los e prepará-los para
lidar com um forte influxo de energia de alta frequência; a parte do ESPÍRITO é inundar estes campos com
a energia que te é própria e completar o alinhamento.

    Tudo é, evidentemente, ESPÍRITO; trata-se, simplesmente, de quanta distorção existe no eu-ego quan-
do O expressa.

   Nesta Segunda Parte contém informações e sugestões para este processo. Todavia, é preciso entender
que a ação é diferente para cada pessoa e que, portanto, as sugestões são muito genéricas.

  Felizmente, à medida em que os canais entre o eu-ego e o eu-espírito se vão abrindo, cada vez
mais o ESPÍRITO assumirá o papel de guia - um papel que já desempenhou muitas vezes, antes. Este


guia pessoal é muito mais valioso do que qualquer coisa que possam receber de mim ou de outra auto-
ridade externa. A chave chama-se: confiança. Como a natureza humana se acostumou a dar muita
atenção ao que provém do exterior, a parte fundamental deste processo é aprender a confiar no
ESPÍRITO, em vez de nas autoridades externas.

   Lembras-te da gelatina de que falámos antes e do que se passava com a amarela quando uma onda
estacionária era aplicada à vermelha? Lembras-te como, gradualmente, esta começava a construir a mes-
ma onda estacionária? Lembras-te de como é que, se a amarela estivesse no interior da vermelha, vibraria
simultaneamente como a vermelha? Pois bem: por seres algo físico no plano físico, tu estás completamen-
te rodeado pelo campo do planeta. Os teus campos, não só interagem com os das outras pessoas - captan-
do as energias delas e criando as suas próprias ondas estacionárias - mas também estão imersos no campo
planetário. De certa forma, eles estão predispostos quer à energia dos campos alheios, individuais, quer à
energia dos campos planetários, globais, da realidade de consenso. É por isso que as ondas estacionárias
são inevitáveis... e algumas delas nada têm de agradável!

   Portanto, é necessário que ocorram duas coisas:

1. Que reduzas a predisposição para ressoar as ondas estacionárias que não desejas;
2. Que aumentes a predisposição para ressoar as que desejas.

Analisaremos ambas as vias:

   1. Veremos como poderás desligar-te da energia disfuncional de outras pessoas ou da energia realidade
do consenso. Isso será feito de duas maneiras, actuando sobre os teus corpos:

- removendo as tuas próprias «velhas» energias que deixaram de funcionar;

- elevando as frequências mais baixas, por forma a ultrapassar o nível em que as ressonâncias indesejá-
veis se podem apresentar.

   2. Examinaremos como poderás entrar em ressonância com a energia com que desejas impregnar-te, ou
seja, com a energia do ESPÍRITO.

   Lembra-te de que a tua maior ambição enquanto ESPÍRITO é que, enquanto eu-ego, venhas a ascender.
Sob esta óptica, isto significa que o eu-ego tem de se redefinir a si mesmo como ESPÍRITO. Por outras
palavras: o eu-ego não tem de alterar o que julga ser; tem de se ver, sentir, pensar e ser tal como o ESPÍ-
RITO é. O ego sempre foi ESPÍRITO... embora não tenha a mínima ideia disso! A verdade, porém, é que
esta ignorância tem vindo a distorcer, muito frequentemente, a expressão que o eu-ego tem de fazer do
ESPÍRITO. Por conseguinte, é hora do eu-ego expandir a sua consciência, deixar cair véus e medos, e
incorporar o ESPÍRITO!

    Trata-se da culminação de todo um ciclo de vidas: quando o eu-ego incorporar o ESPÍRITO, o «tu» que
conheces passa a ser o «corpo» do teu eu-espírito - isso que conduzirá em direcção à Luz qualquer outra
encarnação que venhas a ter ao longo do tempo!

    Até há alguns anos, este processo era extremamente difícil. Para que pudesses elevar as tuas frequên-
cias e moveres-te entre os planos era necessária muita dedicação e treino prolongado. Agora, porém, as
dificuldades desapareceram. Por exemplo, Sananda criou um «elevador» entre os sistemas dos planos –
aquilo a que nós chamamos Banda ou Frequência Unitária. Como todo o planeta está a ascender, um mag-
nífico empurrão está em curso para que o maior número possível de seres humanos ascenda juntamente
com ele. Nesta parte do livro, veremos como fazê-lo.