quarta-feira, 15 de abril de 2015

INVOCAÇÃO À UNICIDADE

Eu sou um Ser Crístico; sou unidade com o ESPÍRITO

Eu sou um Ser Crístico; sou unidade com o TUDO O QUE É.

A Luz do meu próprio Ser resplandece sobre o meu caminho.

Eu sou um Ser Crístico; sou unidade com o TUDO O QUE É.

No meu coração sustento a resplandecente Luz da Fonte.

Caminho em Unidade com o ESPÍRITO;

Rio em unidade com a Fonte;

Amo em unidade com os meus congêneres.

Eu sou um ESPÍRITO crístico; sou uma ponte entre o Céu e a Terra.


   A função que conheces como Sananda criou um «elevador de consciências» através dos planos, quer di-
zer, um conjunto de frequências harmônicas; se o usares, poderás experimentar a Unicidade.

   Sananda, geralmente, projecta-se como um ser muito carinhoso e suave para permitir que os corpos
emocionais se possam relacionar com a frequência e com a unicidade subjacente. Quando o ESPÍRITO
desempenha esta função, propõe-se comunicar com um ser amoroso em particular, apesar da função de
Sananda não ser nem mais nem menos amorosa do que qualquer outra.

   Quando o ESPÍRITO desempenhou as funções do Cristo, do Buda e do Krishna históricos, por exemplo,
expressou a unidade e o amor incondicional da Fonte através dessas formas, através de seres humanos tal
como tu, que tinham clarificado os seus campos inferiores mais densos e que tinham unificado esses cam-
pos o suficiente para poderem manejar a energia de frequências elevadas das dimensões superiores.

   Isto ocorre automaticamente sempre que se verificam as seguintes duas condições: primeiro, quando te
amas a ti mesmo incondicionalmente; segundo, quando reconheces a unidade com TUDO O QUE É. Então,
o amor incondicional é inevitável. Por seres um com o ESPÍRITO, és feito da mesma «coisa» do que essas
figuras históricas, e o teu eu-espírito realiza, de facto, exatamente as mesmas funções de Sananda ou de
Cristo.

   A figura histórica de Jesus foi a encarnação de um Mestre Ascendido, cujos campos estavam suficien-
temente limpos para permitir que a energia de alta frequência do ESPÍRITO, proveniente da dimensão
Crística, se fundisse com os seus campos até ao ponto de ser capaz de realizar a função de Cristo/Sananda
sobre o plano físico. Durante essa vida, ele foi um canal tão imensamente aberto, que o ESPÍRITO pode
incorporar a energia Crística nos seus campos. Aqueles que se acercavam ficavam inundados dessa ener-
gia; se estivessem suficientemente abertos podiam experimentá-la através da ressonância. Todavia, aque-
les que ressoavam qualquer outra energia que não fosse de amor por si mesmos, como, por exemplo, de
culpabilidade, de auto-recriminação, etc., sentiam-se bastante incomodados ante a sua presença... por-
que a energia da Banda da Unicidade, em si mesma, é totalmente desprovida de julgamentos!

   Por um lado, a energia Crística amplifica o amor por si mesmo e por todos os outros, e eleva as fre-
quências ainda mais; por outro lado, qualquer energia que não seja de amor por si mesmo e pelos outros
destaca-se de tal forma, que deixa de haver outra forma de a reconhecer. Ora, quem não está disposto a
reconhecê-la como sua, irá projetar a ira, o ódio, a amargura e o medo sobre outro objectivo convenien-
te. Jesus, é claro, converteu-se nesse objectivo. É bastante irônico, mas certíssimo, que, ao serem con-

frontadas com a Unicidade, as pessoas projectam os seus sentimentos de não- Unicidade sobre a fonte da
Unicidade. Por isso, a figura bíblica de Jesus foi vista como causadora de divisão.


   Mas fica alerta, pois quando experimentares a energia da Banda da Unicidade pela primeira vez, é pos-
sível que sintas, exatamente, o oposto da unicidade. Não te preocupes; agradece por poderes sentir a
energia de separação - essa antiga impressão que foi sendo gravada nos teus campos ao longo dos anos -
pois agora já tens capacidade de a desalojar.

   Eis uma técnica que podes experimentar: