sábado, 11 de abril de 2015

ASCENSÃO: O QUE É?


   A ascensão é, basicamente, apenas uma mudança de frequência, uma modificação de foco da
consciência. 

   Este livro considera a energia como «aquilo» que está na origem de todas as coisas, a qual se combina
de formas indescritivelmente complexas para te formar a ti, e a tudo o que conheces e não conheces.

   As duas principais características, ou qualidades, da energia são:
Amplitude.
Taxa de vibração, ou seja a frequência.

    O teu corpo físico, as emoções, os pensamentos e o espírito, tudo, está feito dessa «coisa» que se
combina sublimemente para te converter em um ser que é único em todo o Universo. Ora, porque a ener-
gia que te conforma possui uma frequência, tu podes alterá-la! Aqui tens, pois, tudo o que é a ascensão: à
medida que elevas a frequência mais baixa do teu corpo físico, ele torna-se menos denso e incorpora,
gradualmente, a energia de frequências mais elevadas! À medida que isto ocorre, verás e pensarás coi-
sas que não te eram possíveis antes. Literalmente, converter-te-ás num ser da 5ª dimensão, operando e
trabalhando com seres da 5ª dimensão. Como as frequências mais baixas – aquelas do medo e da limitação
- terão desaparecido, passarás a viver num estado a que chamarás êxtase, em unicidade com o teu espíri-
to e com o espírito de todos os outros. Isto é a ascensão!

   Agora, necessitamos de definir outro termo – espírito - porque, de facto, a tua noção acerca do que é o
teu espírito, o meu espírito, o espírito dele, o espírito dela e assim sucessivamente, é um conceito linear,
limitante e, muito simplesmente, errado. Quando fores capaz de transcender os níveis mais baixos da
separação do plano físico, passará a haver somente ESPÍRITO – uma energia sempre mutável que é, e está,
em unicidade consigo mesma. Trata-se de uma energia que tu conheces através de designações como
«Deus», «Tudo O Que É», «Fonte», «Grande Espírito», etc.

   Pela minha parte, neste livro, utilizarei o termo ESPÍRITO (com maiúsculas) sempre que me referir à
unidade; quando houver necessidade de aludir à separação preferirei o termo «eu-espírito». Nesses casos,
estarei a citar aquela porção individualizada do ESPÍRITO que relaciono contigo, com esta tua encarnação
e com todas as outras experimentadas ao longo do tempo; também associarei «eu-espírito» com os níveis
não físicos, mais elevados, do teu ser. Lembra-te, porém, de que uso esta definição apenas por questões
de facilidade de entendimento, pois só há um ESPÍRITO.

   O ESPÍRITO é uno mas parece individualizar-se para poder executar uma função específica, por exem-
plo: tu. Ele opera através de um pequeno ponto, de um foco específico da tua consciência que está con-
centrado no interior do teu corpo físico. Isto é aquilo que se conhece a si mesmo como o «tu», como a tua
personalidade, e é aquilo a que chamo o «eu-ego».

   O teu eu-ego é, evidentemente, uma manifestação do teu eu-espírito, mas possui uma característica
particular, própria de todos os eu-ego: desconhece que pertence ao ESPÍRITO. Quero dizer, desconhecia
até agora!

   Não uso, é claro, o termo «eu-ego» para te diminuir, mas para desviar a tua atenção dessa parte de ti,
que olha para fora, e reorientá-la para aquilo que, na verdade, és: um ponto focal que olha para dentro
desde o interior do teu eu-espírito.

   Isto, por sua vez, é a função do ESPÍRITO. Por outras palavras, tu és o ESPÍRITO em acção.


1 - Todas as frases destacadas em negrito são da responsabilidade da tradução portuguesa.