domingo, 12 de abril de 2015

TÉCNICA DE DESLIGAMENTO DO EU-EGO/LIGAÇÃO COM O EU-ESPÍRITO


   Imagina o painel de uma antiga central telefônica, cheio de fios e de entradas para as cavilhas que po-
diam ser introduzidas em qualquer uma delas para estabelecer as ligações.

   Imagina que as entradas da zona inferior do painel estabelecem ligação com a realidade de consenso:
«Medos», «Crenças», «Vícios» ou qualquer outra coisa desagradável ou pouco divertida.

   Imagina que, ao invés, as entradas da parte superior do painel estabelecem ligação com energias diver-
tidas e envolventes do ESPÍRITO: «Alegria», «Riso», «Abundância», «Viver o presente», «Criatividade»,
«Expressão Divina» e outras posturas saudáveis.

   Se é certo que, quando não estás envolvido com o ESPÍRITO estás a ressoar uma das frequências desa-
gradáveis da realidade de consenso, também é certo que podes escolher com quem, ou com o que queres
entrar em ressonância.

   Ora, se sentes ou pensas de forma negativa é bem provável que isso resulte de estares ligado nos bura-
cos inferiores do painel, aqueles que ligam directamente ao medo e seus derivados. Então, sempre que
duvidares que és um ser imenso e multidimensional, imagina que retiras as «cavilhas» das entradas da
zona inferior do painel que estabelecem ligação com a realidade de consenso... e muda-as para as que
acedem às energias divertidas do ESPÍRITO e à realidade que isso te proporcionará à medida em que a
fores incorporando.

   A realidade de consenso é muito sedutora, porque passas uma vida inteira imerso nela; e, como a co-
nheces muito bem, ela já não te prega surpresas: tens sempre a certeza de que «o pior acontece» e suspi-
ras de alívio quando «o pior acontece» primeiro ao vizinho do que a ti. Nota quantos engarrafamentos
ocorrem nas auto-estradas, não pelos acidentes em si mesmos, mas por causa dos mirones que querem
constatar e aperceber-se da gravidade do desastre.

   Existe, evidentemente, quem tenha interesse em que te mantenhas emaranhado nessa realidade. No
entanto, cada vez mais frequentemente encontrarás pessoas empenhadas em construir uma realidade
alternativa à do consenso, baseada na alegria e no amor, em vez de no medo - essa emoção que lhes serve
de bitola para avaliar até que ponto uma coisa é boa ou má.

   Esta realidade alternativa também está à tua volta. Trata-se de um novo conjunto de energias - de fre-
quências muito mais elevadas – com as quais, depois de assimiladas, podes entrar em ressonância.

   Antes, porém, tens de deixar de contactar, por empatia e telepatia, com quem está atascado na
energia «medo», porque a energia dessas pessoas vai tentar entrar em ressonância com os teus cam-
pos de uma forma muito natural e imparcial, não porque elas queiram «contaminar-te»... mas porque
é assim que a energia funciona!

   Existem muitas razões que podem levar os teus campos a ressoar com a realidade de consenso do statu
quo. A primeira é que nasceste nela; enquanto bebé, possuías campos limpos (exceto no que toca àquilo
que o teu eu-espírito lá tinha posto. Nota como os bebés estão sempre entusiasmados pelo ESPÍRITO, ain-
da que estejam a chorar!). Nessa altura da tua vida eras como um esponja, pronta para absorver tudo o
que aparecesse no caminho. E - a verdade seja dita! – fizeste isso muitíssimo bem!

   Através dessa absorção podes ter recolhido, por exemplo, as seguintes «impressões»:

«Devo trabalhar duramente para conseguir vencer na vida.»
«Sou um macho provedor; sou uma mulher dependente.»
«O amor é caprichoso; não caias nas suas armadilhas.»
«Se não fores o primeiro, não serás nada.»
«Isto é demasiado bom para ser duradouro.»
***


   A lista é interminável. Trata-se de uma colecção de formas de pensamento completamente ultrapassa-
das que repescas no «agora» e projectas sobre os acontecimentos futuros. Aprendeste isto com os teus
pais, parentes e amigos, nas escolas... todos eles infectados, evidentemente.


   Portanto, sempre que contactas com o campo de alguém que esteja a transmitir numa frequência –
seja ela positiva ou negativa - que poderás ressoar, tu captas essa vibração, amplifica-la e devolve-la à
pessoa que a emite como uma espécie de retro-alimentação; logo depois recebes de retorno uma dose
ainda mais poderosa, voltas a amplificar e a devolver... e assim sucessivamente.

   É como o som de um alto-falante que se retro-alimenta do som do microfone, e assim sucessivamente.

  Bom, e tudo isto ocorre antes que te apercebas, sequer, se a retro-alimentação é positiva ou negativa.

Se te for útil, permite-a; mas se a sentires como perniciosa, recusa-a prontamente, pois poderá arruinar a
harmonia desse dia, sem que nada tenhas feito para que tal sucedesse... exceto manteres-te dentro des-
sa parcela da realidade de consenso planetária. Portanto, livra-te dessa vibração pesada que impede que
te sintonizes com a «estação» favorita chamada ESPÍRITO.