quarta-feira, 15 de abril de 2015

A UNICIDADE


   O plano físico não é um sítio cómodo para se estar; sente-se tudo tão separado, as pessoas caminham como se começassem e terminassem na sua pele, os objectos parecem ter texturas e superfícies distintas e os acontecimentos parecem ter começos e fins diferentes. Mas nada disto é verdade!

   Os teus campos pessoais estendem-se desde vários centímetros até vários quilómetros à tua volta,
dependendo das intenções e da frequência da banda que sintonizas. Estes campos estendem-se em frequências que vão desde as ondas estacionárias mais densas dos corpos (as quais são  enganosamente interpretadas pelos sentidos físicos para que tu acredites que são sólidos), até à frequência mais elevada do amor puro que dispôs no sentido de que este universo, e todos os outros, fossem assim.

   Os objetos que te rodeiam são feitos de energia pura, a qual não pára de vibrar neles com imenso entusiasmo, emitindo ou refletindo calor e luz. Tu vês e sentes isto através de umas mãos igualmente
energéticas. Então, por intermédio de um dos processos mais brilhantemente concebidos em todo o Universo, os cérebros processam todos estes dados de energia e registam-nos como se fosse algo sólido.


    Os acontecimentos das tuas vidas são malhas de associação, muito complexas. Um encontro aparentemente informal com um velho conhecido numa esquina do centro da cidade, pode ter sido combinado antes de terem nascido. Enquanto ESPÍRITO, podem perfeitamente ter planeado que, individualmente, iriam adquirir certos talentos e conhecimentos para que, ao encontrarem-se, um pudesse oferecer trabalho ao outro, ou pudessem crescer compativelmente e começar uma relação de parceria.

    Assim, do ponto de vista do ESPÍRITO (o que estás a fazer cada vez mais a partir de agora), não existem indivíduos, nem coisas separadas, nem acontecimentos isolados. Somente existe energia fluindo, num ir e vir, num subir e descer de frequências.

    A pergunta, portanto, poderia ser a seguinte: se isto é verdade, como farei para entrar nesse fluxo e  tornar-me consciente de todas estas verdades?